KPI na Logística: O que é e para que serve?

 

Atualmente, os gestores vem utilizando ferramentas para verificar o andamento das operações. Essas ferramentas são conhecidas pela sigla KPI (Key Performance Indicator), que significa indicador-chave de desempenho. A logística tem um papel fundamental nos resultados operacionais das empresas, e o método de KPI garante a eficácia nos trabalhos.  

A logística é responsável por conectar o produto final ao cliente. Porém, a eficácia operacional nesse fluxo depende do monitoramento e acompanhamento do desempenho das atividades logísticas.  

O uso do KPI na logística permite que os gestores avaliem os cenários e, assim, tomem decisões mais preventivas e menos corretivas. O presente artigo contém informações sobre a relevância dos KPIs, sua função, seus tipos e como utilizá-los de forma eficiente.   

Qual a importância do KPI na Logística?  

A dinâmica da economia é muito volátil, devido a uma série de fatores, que vão desde as variações do câmbio até a mudança do perfil do consumidor.  

KPI na logística

Como são diversos os fatores que influenciam a coordenação logística, se faz necessário então possuir dados que permitam uma análise mensurável para fundamentar a tomada de decisão de maneira assertiva, além de antever situações.  

O KPI na logística apresenta de maneira assertiva como está o desempenho da organização neste setor. As atividades a seguir são essenciais:  

  • embasamento para a tomada de decisão;  
  • possibilidade de melhoria;  
  • monitoramento da produtividade;  
  • controle da qualidade;  
  • monitoramento da cadeia de suprimentos.  

Tipos de KPI na Logística  

Para conseguir o retorno assertivo de um KPI na logística com a informação necessária para realizar determinada análise, é preciso responder previamente uma pergunta básica: o que se deseja medir?  

Afinal, o ambiente da análise pode se tornar amplo e, para conseguir o afunilamento de dados, recomenda-se dividi-los em categorias.  

Por conseguinte, as categorias que as empresas utilizam com mais frequência dizem respeito aos indicadores de:  

  • produtividade: tem por objetivo medir a utilização de recursos, comparando-os com questões financeiras e o espaço disponível. Por exemplo, no caso dos armazéns, calcula-se o espaço usado para armazenar versus o espaço disponível; tempo de movimentação interna; recebimento da mercadoria;  
  • crescimento: relacionados diretamente ao desenvolvimento/evolução do negócio, faz referência à conquista de novos clientes, expansão de filiais, aumento das vendas; 
  • qualidade: diz respeito a realizar as atividades operacionais com eficácia, evitando assim o retrabalho e/ou custos extras.  

3 KPIs que devem ser monitorados em um armazém  

Segundo o Instituto Brasileiro de Logística e Supply Chain (ILOS), a “grande maioria dos custos de armazenagem são fixos e indiretos, fazendo com que aconteça uma dificuldade de gerenciar e alocar os custos”.  

Por outro lado, este é um ponto positivo, desde que “os custos sejam proporcionais à capacidade instalada”. Isso quer dizer que os custos não estão relacionados a quão cheio o armazém está ou se no armazém realiza-se a movimentação de cargas abaixo do planejado.  

Com isso, para ter uma análise bem fundamentada, recomenda-se o monitoramento dos seguintes KPIs em um armazém, para demonstrar a realidade com mais efetividade:  

  1. dock to stock: é a medição dos tempos e movimentos que ocorrem desde o momento do recebimento da carga até a sua efetiva estocagem; 
  1. entrega no prazo: diz respeito à entrega do produto para o cliente. Em outras palavras, entregas no prazo combinado indicam a correta execução das atividades prévias. Porém, um atraso pode ser sinal de uma intercorrência que precisará ser analisada;   
  1. rotatividade do estoque: a movimentação interna de um armazém gera custos. Por isso, é importante localizar os produtos de acordo com a sua rotatividade. Além disso, a movimentação interna do estoque serve para apontar os itens que estejam em excesso ou em falta.  

Cada armazém tem a sua dinâmica e especificidade, de acordo com os produtos lá armazenados. Com isso, é sempre importante verificar se o KPI condiz com a realidade e necessidade.  

Como implementar a gestão por KPI na Logística?  

Para tornar o acompanhamento do fluxo logístico assertivo e eficaz, é necessário realizar reuniões de alinhamento para repassar a estratégia organizacional.   

Dessa forma, será possível realizar um planejamento, considerando o core business da empresa e consequentemente, a especificidade daquela atividade (recebimento, movimentação, despacho).  

A fim de trazer insights sobre como implementar a gestão por KPI na logística, listamos abaixo alguns pontos que podem ser utilizados como base para a sua definição:  

  • identificação dos objetivos: utilizar a abordagem SMART para definir os objetivos é uma estratégia eficaz, pois permite uma identificação precisa dos fatores que os influenciam: S (específico), M (mensurável), A (alcançável), R (relevante) e T (temporal).  
  • identificação das métricas: é necessário possuir meios para mensurar o progresso em relação à meta/objetivo; 
  • reuniões periódicas de acompanhamento: reuniões permitem a verificação, validação e ou ajuste no planejamento, além de informar a equipe sobre o progresso;   
  • ações corretivas: podem ocorrer em diversos níveis, desde um ajuste ou até uma mudança completa. Logo, se tornam muito importantes quando ocorrem antes de um prejuízo financeiro e/ou operacional;  
  • utilização da tecnologia: é de suma importância nesses processos, pois a partir dela é possível obter dados concatenados. Esses dados permitem a análise do colaborador, para que ele possa realizar proposições de ação de forma ágil. Caso contrário, seria necessário realizar ações manuais e repetitivas, tornando a ação burocrática e morosa.  

Com isso definido, as empresas conseguem, de fato, chegar à fase de realizar a implementação dos KPIs, seguindo com a sua gestão para otimizar os resultados.   

A importância da Tecnologia da Informação na gestão da armazenagem  

A gestão do armazém é uma atividade que gera diversas informações que contribuem e/ou afetam diretamente a qualidade do serviço prestado. Em outras palavras, culmina na satisfação do cliente.  

Isso significa que, se essas informações forem todas geradas no papel e caneta e armazenadas em um arquivo, tornam-se ineficientes. Além disso, não haverá agilidade para responder às mudanças e expectativas do perfil de consumo das pessoas.  

Logo, a tecnologia da informação traz consigo a automação, que possibilita otimizar os sistemas de gerenciamento de armazéns (WMS), de forma que as ações de gestão do fluxo logístico sejam rastreáveis, precisas e seguras.  

Desse modo, o posicionamento estratégico abalizado por ferramentas e sistemas tecnológicos disponibiliza o produto certo, no lugar certo, no tempo certo e nas condições combinadas.  

Melhore a performance operacional do seu armazém com a Loginfo  

O maior desafio das empresas para estabelecer um KPI na logística é justamente na obtenção das informações relevantes. Além disso, outra atividade importante é o devido armazenamento desses dados, a fim de realizar os devidos comparativos. Contudo, essa ação é algo que irá fundamentar o sucesso organizacional.  

Então, ciente dessa necessidade, a Loginfo desenvolveu um WMS que é capaz de automatizar os fluxos operacionais referentes à armazenagem de carga.  

Sendo assim, o nosso sistema permite aos clientes que os dados sejam coletados, armazenados e visualizados de uma maneira objetiva, para o desenvolvimento e monitoramento dos KPIs que otimizem a performance do seu armazém.  

Ademais, os nossos colaboradores estão capacitados para realizar o uso estratégico do sistema, trazendo insights que cooperem com a definição das métricas do seu KPI.  

Quer saber mais? Entre em contato conosco!  

Leia mais

KPI na Logística

Mais vistos nesse momento