tecnologia portuária loginfo

Tecnologia portuária: 6 tecnologias que têm transformado o setor

A Quarta Revolução Industrial trouxe uma realidade jamais imaginada para os dias de hoje. Com a ajuda de máquinas altamente tecnológicas e com o auxílio da internet, a tecnologia portuária tem agilizado processos logísticos internos, além de beneficiar muitos outros procedimentos que acontecem dentro de um porto.

Mesmo com a pandemia, um fenômeno de saúde pública que abalou as estruturas do mundo, as zonas portuárias continuaram a crescer e até mesmo ganharam um percentual maior de investimento no Brasil. Durante o ano de 2020, houve um aumento de 4% em comparação a 2019 mesmo com o vírus do Covid-19 ameaçando as comercializações.

Até mesmo diante desse cenário, a tecnologia portuária tomou as rédeas e entregou as melhores soluções para que as empresas continuassem a funcionar. Portanto, esse é um setor que tem se transformado e crescido diariamente ao lado dos avanços tecnológicos no mundo.

Para você que está a fim de saber como a tecnologia portuária tem transformado este setor, continue aqui e acompanhe o nosso artigo! Boa leitura.

Como a pandemia destacou a importância da tecnologia no setor marítimo

O transporte marítimo é um dos principais meios de comercialização no mundo. Mesmo que existam outras modalidades como ferroviária, rodoviária ou aeroviária, o trajeto via mares é o mais comum no mundo e cresce exponencialmente todos os anos.

Porém, 2021 foi uma época datada como um marco na história. A pandemia do Covid-19 se alastrou em inúmeros países e fez com que muitas pessoas adoecessem, empresas fechassem e uma crise econômica fosse instaurada. Mas, mesmo com este cenário, o transporte marítimo não parou: houve um investimento na sustentabilidade desse setor e uma aposta na sua resiliência no mercado.

Isso tudo aconteceu por meio da tecnologia portuária, que permitiu que muitas empresas se conectassem através de sistemas, além de outros aparelhos tecnológicos que ajudaram na conferência de cargas, acompanhamento da movimentação das mercadorias e até mesmo entrada e saída de um pátio.

Essa transformação abrupta durante a pandemia gerou uma grande mudança nos portos e fez com que eles automatizassem procedimentos, tirassem a sobrecarga de trabalho dos colaboradores e otimizasse o tempo/comunicação na zona portuária. Os reflexos certamente foram positivos.

Transformação digital em meio à pandemia

É importante colocar em questão uma mudança que já acontecia antes da pandemia, mas que tomou um rumo completamente diferente quando esse cenário se instalou no mundo: a transformação digital.

Em passos lentos, as mudanças no mercado já aconteciam em relação à tecnologia. Muitas empresas enxergavam as ferramentas tecnológicas como possíveis aliadas na produção e iam em busca de negócios na área de TI para investir. Porém, mesmo que já existisse essa visão que os avanços tecnológicos eram importantes, o processo de adotar esses recursos era muito mais lento e pouco priorizado.

A pandemia, então, obrigou todos a utilizarem recursos digitais. A necessidade de tomar o cuidado com a higiene pessoal, ficar em casa e outras questões fez com que inúmeros trabalhadores não saíssem de seus lares e que movimentassem ainda mais o comércio de portos. 

Mas como a zona portuária ficou diante disso? Simples! Houve um grande investimento em tecnologias de automatização, que substituíram a quantidade exacerbada de funcionários dentro de um mesmo local, e até mesmo de ferramentas de IA, que ajudavam na limpeza diária dos portos para que ninguém fosse contaminado.

A conexão de sistemas, a análise de dados, entre muitos outros recursos ajudaram a tecnologia portuária a se destacar e mostrar que a transformação digital se instaurou por completo neste setor.

Quais tecnologias transformaram o setor portuário?

Era preciso se encaixar às necessidades do ano de 2020. Isso fez com que muitas tecnologias de ponta surgissem ou ganhassem forças no setor portuário. Ainda, é preciso destacar que é quase impossível listar todos os recursos adotados, já que o mundo tecnológico oferece uma infinidade de possibilidades para usar dentro das empresas.

Contudo, neste meio existem ferramentas que se tornaram mais frequentes e que ajudaram na mudança repentina que muitas empresas precisaram passar (além daquelas que já estavam no processo de transformação digital, mas caminhando em passos lentos).

Um exemplo bastante interessante é do uso de um software centralizado, que armazena todas as informações dentro de um único espaço e que permite que os usuários autorizados acessem as informações a partir de apenas um clique.

Por isso, separamos aqui os principais avanços que mudaram a tecnologia portuária e colocaram o comércio marítimo como uma referência da Quarta Revolução Industrial. Veja quais são:

1. IoT (Internet das Coisas)

A tecnologia IoT foi uma das principais apostas para os terminais portuários em 2020. Essa tecnologia já era usada para conectar diferentes recursos nos portos, mas com a necessidade de manter o isolamento e respeitar questões de saúde pública, a adoção dessa ferramenta aumentou ainda mais.

Por meio da Internet das Coisas muitos processos logísticos dentro dos portos foram automatizados, como:

  • Liberação de cargas do terminal para o pátio;
  • Registro de entrada e saída de mercadorias no armazém;
  • Integração de sistemas com equipamentos utilizados na operação;
  • Entre outros serviços. 

Com isso, as chances de erros humanos são menores e a rapidez na liberação para cada etapa é ainda maior. Ou seja, o principal feito da IoT está relacionado à interconexão de recursos dentro dos portos, fazendo com que eles ajam de forma automatizada e sem o monitoramento constante por parte da mão de obra humana. Pode haver especialistas de TI para fazer o gerenciamento das máquinas, mas isso acontece em uma escala bem menor.

Imagine, por exemplo, que uma carga esteja vinculada ao sistema do porto. Quando ela chega através dos navios na região portuária, o software avisa por si só sobre onde essa mercadoria está localizada e quais as etapas que ela precisa passar. Isso agiliza o processo logístico de organização do espaço e liberação.

2. Realidade aumentada

O uso da realidade aumentada como tecnologia portuária também cresceu no ano de 2020. As empresas que adotaram essa ferramenta buscavam simular situações importantes das zonas portuárias, mas dentro de um cenário real.

Um exemplo disso é o suporte visual de navios, em que dados são milimetricamente calculados para que o ele consiga desviar de outros navios, de possíveis objetos e até mesmo de entrar em locais mais estreitos, como o próprio porto. O campo de visão da embarcação é projetado pela realidade virtual e mostra os próximos passos a serem tomados.

O AR é uma excelente maneira de ajudar principalmente empresas que precisam de mais cuidados com cargas sensíveis, perigosas ou de alto valor. Essa ferramenta diminui as chances de erros e permite que a empresa faça um serviço de extrema qualidade.

3. Inteligência Artificial

A tecnologia portuária também investiu pesado na Inteligência Artificial (IA). Com alguns processos semelhantes à IoT, como a automatização de procedimentos que acontecem na empresa, essa mudança foi bastante requisitada e teve um crescimento bastante interessante dentro dos portos.

Porém, para além da automatização, a IA ajudou a zona portuária principalmente em relação ao Big Data, uma de suas subdivisões. Com essa tecnologia é possível cruzar dados e fazer insights importantes para trazer otimizações que vão ajudar a desenvolver o ambiente.

Um exemplo disso são os resultados obtidos após a adoção de um software. O Big Data analisa se os números foram positivos e quais aspectos que mais trouxeram bons resultados à empresa. Isso pode acontecer vice-versa, sempre prezando pela mensuração de tudo que acontece dentro da empresa.

4. Drones

Os drones fogem um pouco dessa tecnologia abstrata, em que dados são analisados, sistemas automatizados ou serviços mensurados. Eles serviram para agilizar procedimentos que envolvem o transporte de cargas específicas.

Com menos gases poluentes e mais rapidez, os drones foram amplamente utilizados para mercadorias importantes, que possuíam um valor alto ou que precisavam chegar aos portos em um período menor. Mesmo que ele suportasse poucos quilos, tornou-se uma ferramenta muito utilizada dentro da zona portuária principalmente para itens de emergência.

Uma situação hipotética pode ajudá-lo a entender a importância dos drones nesse processo: uma quantidade de vacinas emergenciais chega ao navio, mas precisa passar por todos os processos burocráticos de retirada, verificação, estoque e outros. O drone pode fazer a retirada com mais rapidez e agilizar esse processo, que às vezes é bastante demorado.

5. Cloud Computing

A Cloud Computing foi outra tecnologia bastante utilizada nesse período de mudanças, mas que já estava presente no processo de transformação digital dos portos. Com a necessidade de armazenar informações sobre as cargas que chegavam e saíam de uma zona portuária, essa ferramenta remota permitia que todos os dados fossem guardados sem preocupações com a escalabilidade.

O uso de sistemas de armazenamento locais, como data centers, limitava a quantidade de informações que chegavam ao porto e reduzia as comercializações que a empresa poderia realizar com outros negócios. Contudo, o uso da Cloud Computing acabou com este problema e ofereceu um recurso altamente escalável, que se adapta de acordo com a necessidade do sistema.

Agora é possível guardar todas as informações sem o medo de não ter espaço suficiente, além de contar com um sistema seguro, que garante a confidencialidade dos dados armazenados.

6. Gestão Aduaneira da Loginfo

A plataforma de Gestão Aduaneira da Loginfo também foi uma excelente tecnologia portuária que cresceu no mercado. Ela permite o controle de processos operacionais e aduaneiros por meio de um sistema que conecta funções como:

  • Comunicação com clientes/transportadoras;
  • Controle da documentação aduaneira;
  • Armazenamento;
  • Entre muitas outras funcionalidades.

A solução pode ser utilizada de forma modularizada, em que faz processos de forma independente ou não, além de oferecer às empresas portuárias a possibilidade de manusear o software por meio de diferentes dispositivos, até mesmo com um smartphone.

Para saber mais, clique aqui e conheça a Gestão Aduaneira da Loginfo.

Impactos da tecnologia no maior porto da Europa

O maior porto da Europa, localizado na Holanda, tem sofrido constantes mudanças há muitos anos. Porém, há uma estimativa que para o ano de 2025 sejam adotados navios autônomos, que não precisam de tripulantes para guiar o grande transporte de um porto para o outro.

Esse, sem dúvidas, é um grande marco para a história. A zona portuária de Rotterdam, que irá receber essa tecnologia, já está investindo na atualização de seus recursos para que em poucos anos essa funcionalidade esteja realmente disponível e coloque o local como inspiração no uso de tecnologias de qualidade.

Essa automatização ocorrerá por meio da IoT, fazendo com que diferentes setores sejam interligados e que os navios consigam se deslocar de um local para o outro apenas com os comandos tomados nos softwares. Com isso, é possível acelerar a logística dos portos e reduzir custos que eram gastos com mão de obra humana.

É importante destacar que essa tecnologia não substituirá o trabalho de um colaborador dentro das empresas portuárias, mas que exigirá cada vez mais profissionais com qualificações na área de tecnologia da informação.

Como a tecnologia está transformando o maior porto do Brasil?

O porto de Santos, localizado no estado de São Paulo, é considerado a maior porta marítima do país brasileiro. Com inúmeras entradas e saídas de cargas deste local, a tecnologia portuária precisou passar por uma série de mudanças para suportar tantas movimentações e não levar à uma sobrecarga de serviços.

Esta é uma zona portuária que trabalha não somente com o recebimento de mercadorias brasileiras, como também faz a comercialização com países estrangeiros. Isso mostra que há um potencial econômico grandioso em Santos e que os empresários precisam investir pesado para entregar cada vez mais um melhor desempenho deste porto.

A adoção da IoT, por exemplo, já é uma realidade nesta zona portuária. Sistemas são interligados para facilitar a comunicação entre os setores e para automatizar serviços que podem ser feitos por meio de máquinas. Isso resulta em uma agilidade maior na hora de liberar as mercadorias e encurtar o prazo de saída em direção ao transporte para o destinatário. 

Além disso, alguns projetos que envolvem otimizações em relação ao porto de Santos também estão no papel e prevêem mudanças. O corredor bioceânico, por exemplo, visa investir no transporte rodoviário de qualidade sempre que as cargas saírem de um porto em direção a outro. É preciso criar plataformas mais robustas, aplicar uma malha asfáltica de qualidade, além de outros pontos que ajudam na movimentação de caminhões.

Esse projeto busca interligar os portos brasileiros, como Santos, aos de outros países da América do Sul. Isso fará com que a conexão entre Oceano Atlântico e Oceano Pacífico seja mais fácil e rápida, sem a necessidade de que os navios contornem o continente para chegar ao outro lado.

Desafios para profissionais do setor portuário

Uma discussão bastante calorosa que envolve a tecnologia portuária é sobre a possível substituição da mão de obra humana por máquinas. Muitos filmes hollywoodianos ilustram como essa realidade pode ser um pouco complexa, uma vez que irá reduzir o número de empregados no mundo inteiro.

Porém, é preciso salientar que a intenção das zonas portuárias não é de acabar com o trabalho de colaboradores dentro de suas dependências. De maneira alguma as empresas pretendem fazer esse tipo de substituição, uma vez que a máquina não desenvolve tudo que o humano é capaz.

Impacto sobre os trabalhadores

Contudo, é importante ressaltar que pode haver, sim, um reflexo sobre os trabalhadores de um porto. Quanto mais tecnológico este local for, mais profissionais especializados em tecnologia da informação, por exemplo, serão contratados.

Por isso, é preciso mostrar que a carreira de TI é uma grande aposta dentro das zonas portuárias e que pode ter um aumento bastante considerável da contratação de pessoas que são especializadas nesse ramo. Mesmo que ainda sejam necessários profissionais que atuam em outros setores, essa será a maior busca do mercado.

Para as pessoas que já trabalham dentro de um porto será preciso realizar uma adaptação para que eles entendam como funcionam as novas tecnologias e consigam desempenhar suas funções diante das mudanças que aconteceram.

As empresas não buscam uma demissão em larga escala com a adoção de ferramentas tecnológicas, mas adequar o perfil do funcionário para essa mudança e contratar pessoas que são especialistas nesse ramo.

Como a Loginfo pode ajudar?

Somos uma empresa que trabalha com tecnologia em Gestão Aduaneira e de armazéns gerais! Além de melhorar processos logísticos da zona portuária com a redução de custos operacionais e aumento na produtividade das empresas. 

Isso tudo acontece por meio das nossas duas soluções. Oferecemos serviços que transformam os processos logísticos de uma empresa em mais ágeis, com um sistema totalmente web e com a possibilidade de conectar a outros setores, melhorando a comunicação dentro do porto e armazenando todos os documentos dentro de um software centralizado e simples de usar.

A solução de Sistema WMS permite que haja um controle total sobre o que acontece dentro de um armazém, além de dar acesso intuitivo por meio de qualquer dispositivo, seja computador, tablet ou até mesmo smartphone. O software é responsável por fazer os serviços de inteligência operacional e otimização do put-away do estoque. 

Já a solução de Gestão Aduaneira oferece um sistema web, em que há um controle total sobre todos os processos operacionais e aduaneiros que acontecem na zona portuária. Isso permite que a empresa mantenha o controle de tudo que acontece e ainda tenha uma comunicação eficaz com os diferentes setores.

Se você ficou interessado em algum desses serviços, aproveite agora mesmo para falar com os nossos especialistas! Temos o que você está em busca em tecnologia para otimizar a empresa portuária em que trabalha.

Conclusão

Para resumir tudo que discutimos até aqui, vamos fazer uma pequena síntese do que é a tecnologia portuária nos dias de hoje. Essa é uma grande aposta para a comercialização marítima, uma vez que esse é um tipo de mercado que cresce todos os anos e que teve uma grande acentuação durante a pandemia.

Mesmo que a transformação digital tenha atingido todos os setores, a mudança que aconteceu com as zonas portuárias fez com que muitos avanços tecnológicos fossem instaurados. Os principais recursos adotados foram a IoT, Realidade Aumentada, Inteligência Artificial, Drones, Cloud Computing e a Gestão Aduaneira.

É muito importante destacar que essa mudança reflete, sim, numa alteração do mercado portuário, mas que não significa a substituição total de profissionais humanos em detrimento às máquinas. A intenção é preparar os funcionários de um porto para o trabalho mais tecnológico e contratar colaboradores que sejam voltados para a área de tecnologia da informação.

A maior zona portuária da Europa investe às pressas em um grande avanço, que é o navio autônomo, enquanto o porto de Santos passa constantemente pelo processo de otimização tecnológica com as principais ferramentas do mercado.

Se você chegou até aqui, aproveite também para ler sobre o nosso conteúdo sobre Entenda como funciona a integração de sistemas do setor portuário e acessar o blog da Loginfo para ler mais assuntos como esse

Postar um Comentário