Logística por segmento: o que é e quais são as tendências 

O que é REDEX e qual sua função? 

REDEX, ou Recinto Especial para Despacho Aduaneiro de Exportação, é uma estrutura física que tem por objetivo simplificar e agilizar o processo de despacho aduaneiro de mercadorias destinadas à exportação.   

Sua função consiste em oferecer um ambiente controlado e especializado para as operações de comércio exterior. Dessa forma, reduz burocracias e custos, facilitando o fluxo de mercadorias para o mercado internacional e fortalecendo a competitividade do setor exportador brasileiro. 

O REDEX na exportação desempenha um papel crucial impulsionando a economia do país ao promover maior eficiência nas transações comerciais. 

Por isso, acompanhe este artigo até o final para saber mais sobre o que é o REDEX, como funciona e os motivos para sua utilização. 

Cenário da exportação brasileira  

O Brasil lidera as exportações globais de soja, petróleo, minério de ferro, celulose, milho, café e carnes bovina e de frango. 

Os principais países consumidores dessas exportações brasileiras, no ano de 2022, foram a China, Estados Unidos, Argentina, Países Baixos (Holanda), Espanha e Chile. 

 As exportações impulsionam a produtividade, inovação e competitividade das empresas, pois exigem adaptação ao mercado externo e proporcionam intercâmbio de tecnologias e know-how com outras culturas, gerando experiências enriquecedoras. 

Entretanto, nos últimos 10 anos, o Brasil caiu do 22º para o 27º lugar no ranking de exportações. As vendas ao exterior sofreram uma queda de 7% em 2019, o maior tombo entre grandes emergentes, como China, Índia e Rússia. 

A participação da indústria brasileira no cenário mundial também diminuiu, de 2,69% em 1994 para 1,19% em 2019. Essa perda nas exportações industriais é preocupante, pois esse setor gera empregos e impulsiona a economia. 

A redução nas exportações para a Argentina e nas vendas de soja para a China são fatores que contribuíram para essa queda. Em contrapartida as exportações para os Estados Unidos apresentaram aumento

Fluxo de um processo de exportação  

É preciso entender como funciona cada etapa de cada processo no comercio exterior. O Fluxo Básico da Exportação compreende as seguintes fases: 

  • Registro da DU-E (Declaração Única de Exportação) para uma ou mais notas fiscais; 
  • O depositário registra no CCT (Controle de Carga e Trânsito) a recepção da carga amparada pelas notas fiscais até o local de despacho; 
  • Logo após a recepção completa da carga, é realizada a apresentação para despacho e determinado o canal de parametrização; 
  • Após o desembaraço da carga, o depositário registra no CCT a entrega ao transportador internacional, seja com base em contêiner, quantidade de volumes, veículos ou granel; 
  • O transportador internacional registra os dados de embarque; 
  • Quando toda a carga é manifestada, a exportação é considerada concluída e, desde que não haja pendências, a DU-E é averbada. 

Mas é importante ressaltar que no caso de trânsito aduaneiro, algumas diferenças se aplicam:  

  • Após o desembaraço da carga, o depositário registra a entrega ao transportador nacional, seja com base em contêiner, número da DU-E ou DAT (Documento Auxiliar de Trânsito); 
  • No local de embarque ao exterior, podem ocorrer três situações diferentes, a saber:  
  1. O depositário ou operador portuário registra a recepção da carga com base em contêiner, número da DU-E ou DAT e posteriormente registra a entrega ao transportador internacional; 
  1. O mesmo transportador que realizou o trânsito nacional entre zonas primárias por via aérea ou aquaviária transportará a carga para o exterior, e não há registro adicional no CCT; 
  1. O transportador internacional registra a recepção da carga do transportador nacional, seja com base em contêiner, número da DU-E ou DAT. 
  • O transportador internacional registra os dados de embarque, e a averbação ocorre quando a carga está completamente exportada e não há pendências na DU-E.  

Fonte: Fluxo Básico da Exportação — Siscomex (www.gov.br).  

O que é REDEX?  

REDEX na exportação, em resumo, é um recinto não-alfandegado de zona secundária. Em geral, localizado no próprio estabelecimento do exportador ou em endereço específico para ser utilizado por vários exportadores, uma vez que ele é de uso público. 

Esse conceito engloba um espaço físico especialmente designado para o controle e liberação de mercadorias a serem exportadas. Nele, os procedimentos alfandegários são simplificados, a fim de reduzir o tempo de espera e a burocracia associada ao processo de exportação.  

Por fim, a lista oficial dos recintos habilitados como REDEX pode ser obtida no site da Receita Federal do Brasil (RFB), que disponibiliza informações atualizadas sobre os recintos autorizados a operar em todo o território nacional.  

Como um REDEX funciona?  

De modo geral um REDEX funciona da seguinte forma na exportação:  

  • A carga é transportada das instalações do exportador para um REDEX; 
  • Toda a documentação exigida para a exportação da carga (Commercial Invoice, Packing List, Certificado de Origem, quando aplicável, entre outros) passa pelo processo de análise da alfândega; 
  • Com os documentos aprovados, a carga é encaminhada para uma vistoria física; 
  • Com tudo nos conformes, a carga é liberada para abertura de Trânsito Aduaneiro entre o REDEX e o porto de embarque;
  • Já na zona portuária a carga passa por uma conferência e então obtém-se a conclusão do processo de Trânsito Aduaneiro;
  • Por fim, a carga recebe permissão para ser embarcada. 

Também é importante lembrar que o REDEX proporciona maior agilidade no processo de exportação, pois é projetado para operações específicas de despacho aduaneiro de exportação. 

Ele oferece um ambiente controlado e otimizado para a execução dessas operações, facilitando assim a liberação de mercadorias e reduzindo os prazos para o envio dos produtos ao mercado internacional. Além disso, o REDEX na exportação pode ser utilizado para realizar a conferência e liberação de mercadorias com maior rapidez, favorecendo a competitividade das empresas exportadoras e a economia do país. 

3 motivos para utilizar um REDEX  

Existem alguns motivos para utilizar um REDEX, e essa decisão deve ponderar caso a caso. Porém, é importante conhecer os principais aspectos que podem auxiliar neste processo de exportação: 

  1. Agilidade no processo: Utilizar um REDEX proporciona rapidez e eficiência no despacho aduaneiro. Esse recinto é projetado para reduzir a burocracia fiscal, o tempo de espera e os trâmites necessários, o que resulta em prazos mais curtos para a liberação das mercadorias e favorece as operações comerciais; 
  1. Redução de custos: Ao optar por um REDEX na exportação, as empresas podem obter vantagens econômicas significativas, como menor tempo de armazenagem das mercadorias, redução de custos com demurrage e outros encargos logísticos. Além disso, a simplificação dos trâmites aduaneiros pode minimizar gastos com assessorias e documentações complexas; 
  1. Facilidade e especialização: Os REDEX são recintos aduaneiros especializados em operações de exportação. Ao utilizar essas estruturas, as empresas contam com um ambiente dedicado e projetado para atender às necessidades específicas desse tipo de operação, o que facilita o cumprimento das exigências legais, melhora a organização das operações e garante maior segurança no processo. 

Facilitamos a sua gestão aduaneira por meio da tecnologia  

A gestão aduaneira é um aspecto crucial para o sucesso das operações de comércio exterior. Na Loginfo, entendemos os desafios enfrentados pelas empresas na área de importação e exportação, e é por isso que oferecemos soluções de ponta para simplificar e otimizar esse processo. 

Nossa tecnologia em Gestão Aduaneira de armazenagem e movimentação de mercadorias proporciona agilidade e eficiência em todas as etapas da cadeia logística. 

Com a nossa plataforma, os clientes podem contar com uma gestão automatizada e integrada, reduzindo significativamente o tempo de trâmites aduaneiros e, consequentemente, os custos associados. 

Portanto, não deixe que a gestão aduaneira se torne um obstáculo para o crescimento do seu negócio internacional. Conte com a Loginfo para impulsionar o seu negócio, garantindo a otimização dos processos logísticos, a redução de custos e o ganho de produtividade.   

Simplifique o seu comércio exterior e conquiste novos mercados globais com a tecnologia e expertise da Loginfo. Entre em contato conosco hoje mesmo e descubra como podemos tornar suas operações mais eficientes e lucrativas! 

Logística por segmento: o que é e tendências 

Com o passar dos anos o segmento logístico passou por mudanças drásticas, tanto na maneira como acontece, quanto na forma como é visto pelas empresas. No passado, esse aspecto era ignorado pelas companhias que enxergavam apenas os estágios mais básicos dos negócios. Por outro lado, atualmente as empresas buscam eficiência, bem como entender a logística por segmento. 

O cuidado que as empresas devem tomar quando o assunto é logística não está apenas no tipo de transporte usado. A verdade é que ela envolve uma série de quesitos que agregam segurança e reduzem os custos da operação. 

Por isso, siga a leitura para inteirar-se melhor desse importante assunto. 

Segmentação por produto na logística 

Ter rastreabilidade nos processos e entender quais as melhores opções para cada caso são fundamentais para a Logística por segmento. 

Da mesma forma, ter um planejamento estratégico é de suma importância para o Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Pois cada produto necessita de um determinado método de transporte ou de cuidados especiais dentro dos diversos segmentos que compõem o campo da logística. Assim, é possível relacionar cada segmento da logística a um determinado tipo de produto. 

A segmentação por produto na logística ocorre porque cada tipo de produto necessita de uma atenção especial que o diferencia dos demais. Alguns segmentos logísticos estão relacionados ao próprio segmento do produto. 

Logística por segmento: principais áreas 

Pela necessidade das empresas se especializarem em alguns segmentos respondendo a uma “dor” de mercado, a logística passou a ser dividida conforme o tipo de produto. 

De maneira simples, é possível dividir a logística em 4 segmentos iniciais: 

Farmacêutico 

É responsável por armazenar e distribuir princípios ativos, produtos biológicos e medicamentos do fornecedor, até o produto final de venda. 

Inegavelmente, os produtos farmacêuticos necessitam de um controle de qualidade bastante exigente. Afinal, requerem condições especiais de armazenagem, a salvo de contaminação, e controles gerais bem rigorosos que garantam ao consumidor final um produto livre de riscos. 

Alimentício 

A logística dos produtos alimentícios tem como principal objetivo levar os produtos da indústria ou fontes primárias até os pontos de comercialização. 

Ela precisa garantir a integridade e segurança alimentar de todos os produtos alimentares, cuidando do final da linha de produção até chegar ao consumidor final, no ponto de venda. 

Cargas perigosas 

As cargas perigosas caracterizam-se pelos produtos de natureza química, radiológica ou biológicas que são de alguma maneira nocivos aos seres humanos e ao meio ambiente em geral. 

No Brasil, por exemplo, a Resolução 5.232/2016 considera mais de 3 mil itens perigosos. 

Para a logística desse segmento é preciso adotar uma série de cuidados perante os órgãos competentes, como o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), embalagens corretas e específicas, sinalizações, respeitar limitação de circulação, análise e cuidados com riscos potenciais pela reação e a proibição de qualquer carga extra. 

Carga geral 

A carga geral é característica de toda mercadoria embalada de maneira geral e que pode inclusive ser transportada sem embalagem, solta. 

Ela pode estar em um determinado estágio industrial, não necessariamente completamente acabada e que necessita de arrumação para ser transportada. 

Geralmente a logística dessa carga é conteinerizada, quando em dimensões adequadas para isso. 

Assim, a logística do segmento de carga geral é a mais ampla e possui ainda várias subdivisões que serão tratadas em detalhes em outros artigos específicos. 

Além de segmentar, caso as empresas desejem se tornar especialistas em um ou mais segmentos logísticos, para tanto devem buscar profissionais qualificados e manter um sistema que atenda às demandas de cada tipo de processo. 

Logística: Segmentar ou Especializar? 

Ambas as estratégias a serem adotadas podem trazer oportunidades de negócios, contudo elas também trazem consigo alguns contrapontos que podem dificultar a decisão sobre qual mercado atacar. 

No caso da segmentação, a fatia de mercado a ser trabalhada é maior e traz mais oportunidades de negócios, em quantidade. Entretanto, a concorrência desse tipo de negócio é proporcional ao seu potencial volume. 

Enquanto no caso da especialização as empresas trabalham com um nicho mais afunilado e com uma concorrência muitas vezes menor, as oportunidades também acompanham o volume. Os negócios que surgem requerem expertise e experiência e isso agrega valor aos serviços prestados. É, portanto, um serviço que se torna mais rentável. 

Tendências na logística por segmento 

A tecnologia aliada à logística está se tornando uma realidade e diversas empresas estão se beneficiando dela. Com a constante e rápida evolução do mercado é fundamental para o crescimento de qualquer negócio, em qualquer segmento, acompanhar as tendências de logística. 

Nesse sentido, quando o assunto são as tendencias na logística, um dos pontos que fica em evidência é o de entregas autônomas. Essa tecnologia busca minimizar os problemas comuns encontrados na cadeia de suprimentos, entre os quais a falta de mão de obra qualificada e a segurança para a operação e para as cargas são os principais. 

Certamente o monitoramento em tempo real também é uma das tendências para os próximos anos. Atualmente já existem algumas empresas que fornecem esse tipo de serviço no mercado de logística o que torna possível um maior controle do que ocorre durante o processo. 

Por conta de um armazém necessitar de espaço maior para poder operar, armazéns menores aliados à verticalização acabam se tornando uma opção estratégica para o armazenamento. O aproveitamento gerado por essa estratégia diminui a necessidade de manter grandes espaços e facilita o trabalho dos evolvidos. 

Uma tendência mais voltada para o comércio digital é a entrega no mesmo dia (Same Day Delivery). Essa tendência de logística visa a entrega do produto ao consumidor no mesmo dia em que a compra ocorreu, desde que tenha ocorrida até determinado horário e com local entrega em determinada região. Algumas empresas brasileiras já oferecem essa opção de entrega. 

Desenvolva um novo segmento na logística com a Loginfo         

Em vista do quão importante é o controle e o gerenciamento dos processos para o bom funcionamento de um centro logístico e a importância da automatização dos procedimentos para esse segmento, ter um bom software de gestão auxilia nesse quesito. 

A Loginfo vem atuando no setor de logística desde 2014 conectando a operação e focando em digitalizá-la para trazer agilidade aos processos. Somos especialistas no mercado de soluções para os setores portuários e de armazém geral com aplicações que atendem aos modais marítimo, aéreo e rodoviário.  

Além da gestão de contêiner, armazém geral, granel sólido e gestão aduaneira de maneira automatizada. 

Assim, com soluções focadas na operação de armazenagem e movimentação da mercadoria dentro de áreas alfandegadas e de armazém geral, a Loginfo é capaz de aumentar a eficiência da sua operação, gerar maior rastreabilidade da mercadoria e minimizar os custos operacionais. 

Podemos agregar valor à sua marca por conta da maior visibilidade da operação e agilidade no acompanhamento dos processos com uma solução que é totalmente web, integra a digitalização de documentos e pode ser utilizada em qualquer dispositivo mobile

Leia mais

Mais vistos nesse momento